Connect with us

Tecnologia

Facebook muda regras e vai identificar ‘notícias falsas’

A classificação é feita por agências de checagem de fatos parceiras

Publicado

em

Foto: NoticiasAoMinuto

Na era das ‘Fake News’, fique atento! Em cabo Verde o Governo impôs sanções aos autores de notícias falsas nas redes sociais.

Leia:

O Facebook anunciou mudanças nas regras para as páginas dentro da plataforma. A principal delas é a identificação de publicações consideradas “notícias falsas” e que, em razão disso, têm a distribuição reduzida. Os administradores das páginas poderão ver quais mensagens foram enquadradas nesta categoria. Também terão acesso a outros conteúdos retirados por violarem as normas internas da companhia (os Parâmetros da Comunidade).

Os administradores de páginas passarão a ter acesso a uma “aba” denominada “Qualidade da Página”. Nela, ficarão listados os posts avaliados como “falsos”, “mistos” ou com “título falso”, conforme categorias definidas pela empresa. A classificação é feita por agências de checagem de fatos parceiras (conheça as regras de análise aqui). Até agora, quando uma publicação era marcada desta maneira não havia qualquer sinalização nem ao autor nem aos administradores de páginas. O autor, contudo, seguirá sem ser notificado.

A redução de alcance de conteúdos considerados “notícias falsas” vem sendo adotada pela rede social, sem remover os posts mas criando obstáculos a sua difusão. “Esperamos que isso forneça às pessoas as informações necessárias para policiar comportamentos inadequados de administradores de uma mesma página, entender melhor nossos Padrões da Comunidade e, em alguns casos, nos informar quando acreditarem que tomamos uma decisão incorreta sobre um determinado conteúdo”, afirmou a empresa em comunicado oficial. No Brasil, o Facebook estabeleceu parceria com entidades de checagem de fatos, como a Agência Lupa, aos Fatos e France Press para verificar circulação de notícias falsas durante as eleições de 2018.

Além das publicações classificadas como “notícias falsas”, os administradores de páginas poderão ver também os conteúdos removidos por não respeitarem as normas internas, os chamados Parâmetros da Comunidade. Entram aí mensagens enquadradas como “discurso de ódio”, “violência”, “conteúdo explícito”, “assédio”, “bullying”, “produtos controlados”, “nudez adulta”, “atividades sexuais” e “apoio ou glorificação de indivíduos não permitidos no Facebook”.

Os posts apontados dentro dessas categorias já eram retirados, mas sem explicação. Com isso, o administrador poderá ver as publicações banidas. Segundo o anúncio do Facebook, o administrador passa também a poder contestar uma remoção. Alguns tipos de derrubada não serão informados nesse processo, como “spam”, “posts caça-cliques” ou “violações de propriedade intelectual”.

Outra medida anunciada foi a fiscalização mais rígida de autores de páginas removidas. A plataforma já impedia a criação de um espaço deste tipo semelhante a um derrubado por violar as normas internas. Mas, segundo a companhia, foram identificadas “pessoas trabalhando para contornar nossa política, usando páginas existentes que elas já gerenciavam para o mesmo propósito que a página removida por violar nossas políticas”.

Em resposta a isso, o Facebook poderá retirar outras páginas de autores de páginas removidas mesmo que aquelas não tenham incorrido em alguma violação. Para fazer isso, explicou a plataforma, será avaliado “um amplo conjunto de sinais”, como os administradores ou se o nome é similar.

Na avaliação do mestre em direito e pesquisador do Instituto Beta Paulo Rená, as medidas anunciadas sinalizam para maior transparência na remoção de conteúdos, mas ainda são “tímidas” e podem “não fazer muita diferença”.

“Não me parece haver nenhum indicativo de mais permeabilidade do Facebook para ouvir a comunidade. Isso pode manter a situação de inércia perante falsos positivos, quando conteúdos legítimos são removidos sem que haja real possibilidade de reação pelas pessoas interessadas; ou quando conteúdos ofensivos, especialmente relacionados a discurso de ódio, são mantidos online a despeito de protestos na própria rede”.

Já a advogada e integrante do Comitê Gestor da Internet no Brasil Flávia Lefévre argumenta que a despeito das novas regras, permanece o problema dos Parâmetros da Comunidade serem pouco transparentes. Ela cita casos, como situações que ela própria viveu, em que usuários têm conteúdos removidos e mesmo após questionamento o Facebook não explica a razão da remoção ou reverte a situação.

“A remoção de conteúdos acontece com base em critérios dos tais Padrões da Comunidade, que não são claros. Essa prática se configura como arbitrariedade com alto risco para a liberdade de expressão. Essa prática deveria estar ancorada em critérios claros e relacionados às leis brasileiras e em concordância com a jurisprudência”, defende a advogada. Com informações da Agência Brasil.

FONTE: NoticiasAoMinuto

Comunidade de todos os Cabo-verdianos residentes no País e na Diáspora. Aqui você fica de olho em tudo o que acontece arquipélago.

Continue Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Aplicativo ‘Gilera Cheio’. Faça suas compras sem sair de casa, na Praia

Faça as suas compras no Mercado do Plateau através do aplicativo Gilera Cheio e evite sair de casa, nesta quarentena.

Publicado

em

O coronarivus (COVID-19) abalou o mundo e está mudando a nossa forma, até então, de viver. Sem a “liberdade” de sair às ruas, o apelo do governo é “Fique Em Casa” e se proteja da contaminação e propagação do vírus. Dessa forma, precisamos reinventar nossos hábitos, nossas rotinas e organizar o nosso tempo.

Não foi restringido a liberdade de sair na rua para alguma necessidade urgente; uma delas, comprar comida. No entanto, você já pode fazer isso a partir de casa, através do Aplicativo Gilera Cheio, criado pelo especialista no Desenvolvimento de Produtos Multimédia, Moisés Freire Rocha.

Gilera Cheio Eco Delivery é uma App multi-serviços de entregas ao domicílio que permite os usuários fazerem pedidos tais como:

  • Supermercados.
  • Mercados Municipais.
  • Praça da Alimentação.
  • Acomodações.
  • Transporte Executivo.
  • Pedidos Personalizados.

De informar que, no primeiro momento, o aplicativo só irá funcionar no concelho da Praia e é cobrado o valor de 200$00 para entrega dos pedidos.

A entrega vai ser feita por nove colaboradores afectos à plataforma, com recurso a veículos eléctricos (carro ou bicicletas) visto que o projecto tem por missão ser totalmente ecológico.

“O essencial, para começarmos agora, já está na plataforma”, disse o jovem, indicando que os pedidos feitos até ao meio-dia serão entregues até ao final do dia, enquanto os que forem feitos depois das 12 horas só serão entregues na manhã do dia seguinte.

Criamos um mini tutorial para te ajudar na utilização do App:

Após instalar o App, você precisa criar uma conta, atraves de um formulário, informando seu Nome Completo, E-mail, Telefone e uma Senha, ou pode concectar-se usando seu Facebook (recomendo criar sua conta com seu e-mail).

Após feito o cadastro, é direcionado à página inicial do App, onde você pode escolher o que deseja comprar. As Categorias são as mencionadas acima.

Dentro de cada Categoria, os produtos são listados com seus preços, você só precisa clicar encima do produto, quando abrir no modo de detalhes do produto, selecione a quantidade (em kilos) e faça clique em Add to Cart (adicionar à carrinho/cesta – se deseja comprar mais) ou Buy Now (comprar – se deseja comprar apenas um produto); se deseja comprar mais de um produto, adicione quantos desejar ao carrinho e ao terminar, acesse o ícone do carrinho no canto superior direito da tela. Feito isso, será listado todos os produtos adicionados ao Carrinho e o total a pagar.

O próximo passo é adicionar um endereço de entrega. O formulário exige Seu Nome, Telefone (no formato +238 000 00 00), número da casa (em CV as casas não são numerados, com exceção de algumas no Platô – em outros bairros desconheço), Nome da Rua, Ponto de refência da casa, País, Estado (só exibe Santiago), Cidade e ZIP (da Praia é 7600).

Após configurar o endereço de entrega, aperte PAY para fazer o pagamento.

Obs.: até o momento de testes, não conseguimos realizar o pagamento, o App retorna um erro e não finaliza o processo.

Contras – alguns erros detectados no teste (2 de abril)

  • lentidão
  • não está traduzido 100% para o português
  • erro na finalização da compra

Baixe o App Gilera Cheio para Android e iOS e faça a sua compra a partir de casa.

Com informações do Expresso das Ilhas

Continue Lendo

Tecnologia

Governo de Cabo Verde apresenta o site oficial do COVID-19

Mantenha atualizado, em fonte credível, sobre a situação da COVID-19 em Cabo Verde

Publicado

em

O Governo de Cabo Verde em parceria com a Organização Mundial de Saúde, as Nações Unidas e do Instituto Nacional de Saúde Pública, apresentou na tarde de ontem, 26 de março, publicamente o site oficial do Coronavírus, (https://covid19.cv/), que visa dar informação permanente e atualizada à população.

A cerimónia foi presidida pelo Secretário de Estado para Inovação e Formação Profissional, Pedro Lopes, em representação do governo.

Na sua intervenção, sublinhou o Secretário do Estado que o site pretende ser mais um passo na constante melhoria da comunicação com a população sobre a evolução da epidemia em Cabo Verde.

“O site será o ponto em Cabo Verde de referência da informação sobre a COVID – 19 e vai dispor de todo o tipo de informação e depois em breve, através da página Cabo Verde Digital, vamos ter um conjunto de funcionalidades e aplicações que os jovens põem ao serviço das pessoas” acrescentou.

Por outro lado, explicou que com este site pretende-se também descongestionar os serviços telefónicos. “Sabemos que há muitas dúvidas e as pessoas estão com receio, mas o que queremos é que as pessoas tenham respostas às suas dúvidas no tempo certo, através de um click na sua casa”.

De realçar que a apresentação ficou a cargo da Presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública, Maria da Luz Lima.

Consulte o site através do link seguinte e divulgue: https://covid19.cv/

MSSS

Continue Lendo

Tecnologia

iFome entrega refeição em Casa. Faça seu pedido!

Sentiu fome e não quer sair de casa e está sem vontade de “poi panela na lume?” Você pode pedir refeição online, pagar online e receber em casa.

Publicado

em

iFome é um serviço de entrega a domicílio de alimentos.

iFome, é um serviço inovador em Cabo Verde que começou a funcionar em 2017 e pretende dar suporte aos restaurantes das nossas ilhas, oferecendo um serviço de entrega de refeições ao domicílio. A empresa conta com uma eficiente equipa na logística e uma plataforma para pedidos e encomendas online, facilitando assim que a sua comida favorita chegue à sua residência ou escritório sempre que deseje. O foco é aumentar o leque de serviços oferecidos pelos restaurantes sendo assim um novo canal de vendas para empresas gastronómicas e uma ferramenta inovadora para nossos clientes e utilizadores.

A empresa faz entregas, por enquanto, nas ilhas de Santiago, Sal, Boavista e São Vicente.

Como funciona?O pedido pode ser feito no website, no chatbot do messenger ou no aplicativo iFome, disponível no iOS e Android. Comece por escolher a sua região para ver a lista de restaurantes disponíveis, depois é só escolher a sua comida e fazer o pedido. Assim que o restaurante recebe o seu pedido, inicia o preparo e embala para que os nosso motoboys possam ir buscar e levar a encomenda até si.

Qual o horário de serviço?

Fazem entregas todos os dias das 12h00 às 23h00, e cada restaurante tem o seu horário de funcionamento.

Como será entregue o meu pedido?

Após finalizar o pedido, este é enviado para o restaurante e eles preparam e embalam. Quando pronto os nosso motoboys fazem o levantamento e entregam no endereço indicado.

Quais o metodos de pagamento?

É recomendado o pagamento online para uma melhor experiência possível e para garantir a segurança dos nossos motoboys, mas também aceitamos pagamento na entrega no vinti4 e em dinheiro.

Os preços nos restaurantes e no iFome são os mesmos?

Nós incentivamos sempre aos restaurantes para usarem os mesmo preços para delivery que os praticados no menu dos restaurantes, contudo poderão haver excepções. Os preços estão claramente expostos no nosso site, para mais questões pfv contactar os restaurantes diretamente.

Outras perguntas e dúvidas, você encontra no FAQ da empresa.

Faça seu pedido. Nas compras acima de 1.500$00 a entrega é grátis:

Continue Lendo

Destaques