Connect with us

Nos Gente

Un Homenagen a Artista João Domingos Lopes, Djou di Brava

Ele definiu EUA e a Brava assim: “Estados Unidos um pai generoso, Djabraba uma Mãe Boa Mãe“…

Publicado

em

Aos mortos, se-lhes atiram flores e aos vivos, pedradas se-lhes lançam….

A Ilha das flores, muito ressequida, por causa das secas, sobretudo na parte mais árida, no dia vinte e dois de Janeiro de 2019 quase que parou, para se despedir de uma humana, generosa, que um certo dia, de pai Foguense e de mae Bravense, nascera na Ilha Brava – Nª Sra de Monte.

Rasgados elogios se-lhe teceram, como sendo eximio tocador de varios instrumentos musicais, patriota e amigo, por excelência da Brava, político, perseverante, tendo levado meio seculo da sua vida a construir um iate, que, por razões não suficientemente esclarecidas, num dia, não muito feliz, acabara por sepultá-lo no mar profundo de Fajã de Agua.

Muitos anos passara também cruzando oceanos. Esse iate construido, com amor e desfeito com desgosto talvez, várias vidas salvara e várias oportunidades de ligações aéreas proporcionara aos emigrantes da Brava, a partir de São Filipe – barco salvador de vidas e de postos de trabalho.

Essa figura emblemática, que partilhara seus recursos, com seus vizinhos ousou também iniciar a edificação de uma moradia estilo castelo, incompleto, por imposição administrativa, segundo se diz. Sepultado no cemitério construído quase no cume de um monte, o mais alto de todos os existentes em Cabo Verde, não suficientemente cuidado, evidencia o esforço necessário para a alma humana poder chegar aos Céus. Numa das suas melodias, entoada com sua potente voz, deixara claro que depois de seu passamento, nem prantos, nem rezas, desejara. Contudo, houve prantos e preces.

Curiosamente, no mesmo dia, à noite, houve animação cultural no Centro Sete sóis, Sete luas, uma organização promotora de salvaguarda de culturas perifericas de alguns dos Países Europeus e que, desde ha algum tempo, tem estabelecido parcerias com algumas Instituições Caboverdianas, beneficiando de recursos financeiros consideráveis e de contrapartida importante das Câmaras Municipais, sobretudo espaços fisicos nobres, como por exemplo Brava, São Filipe… Certamente ao recusar prantos e preces estava a querer músicas e vozes que não deixaram de evidenciar riqueza cultural dessa Ilha das flores. Esses bravos homens da cultura, por vezes, sem qualquer incentivo, quando entoam cantos, encantam as almas.

Homenagem mais nobre que se lhe deve prestar visa valorizar a alma cultural Bravense, a prática de solidariedade permanente para com os mais necessitados. Abraços solidários aos familiares….

Texto de Eugenio Veiga

Portal de Informações sobre Cabo Verde. Aqui você conhece Cabo Verde e fica de olho em tudo o que acontece no arquipélago.

Continue Lendo
Anúncio
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nos Gente

Campanha Solidária para sra. Nazia Cardoso, residente em Ponta Verde, ilha do Fogo

Campanha realizada pelo Projeto Zé Luís solidário Boston-Usa e Rei Eventos

Publicado

em

Em uma publicação feita no Facebook, Zé Luís promoveu uma Campanha solidária para ajudar a sra. Nazia Cardoso, de 69 anos, natural da Freguesia de São Lourenço – ilha do Fogo, residente em Ponta verde.

O Projeto Zé Luís Solidário Boston-Usa junto com Rei Eventos, está a organizar esta campanha para mobilizar apoios junto dos Cabo-verdianos no país e na diáspora, para a melhoria da situação socio-económica e habitacional da sra. Nazia, que não tem casa própria e vive numa casa cedida por conhecidos/familiares, conforme se pode ver nas fotos abaixo.

Junto da Nazia moram dois netos (de 21 e 11 anos); ela teve problemas de saúde e anda com dificuldades; ela se beneficia de uma pensão social mensal no valor de 5.880$00 e os agregados não contam com nenhum outro tipo de rendimento.

Necessidades:

  • construção de um quarto e uma casa de banho;
  • aquisição/doação de 1 colchão, 1 fogão, panelas e utensílios básicos de cozinha, roupas, calçados, roupas de cama, toalha, armários para quarto e cozinha;
  • géneros alimentícios;

Para ajudar a Dona Nazia, basta enviar sua ajuda para o Cash App 508 345 4809 $JoseMartins, de Zé Luís, ou para seu Venmo @Jose-Martins-12; se está em Cabo Verde contate Ixo Gonçalves através dos telefones 9100007 ou 9505493.

Se você mora na localidade de Ponta Verde, no Fogo, procure-a e a ajude no que puder.

Faça a sua parte!

Continue Lendo

Nos Gente

“Duas histórias, uma mesma realidade”, vindas do Bairro da Jamaica na Praia. Ajude!

Mais duas tristes realidades de nossas gentes, do bairro de Jamaica, na Cidade da Praia. Vamos ajudar-lhes.

Publicado

em

A pobreza sempre fez parte de nossas vidas.

E nestes dias, com a pandemia do novo coronavírus (COVID-19), que está dizimando vidas pelo mundo, não fazendo diferença entre ricos e pobres, já morreram celebridades, homens de poder, “criminosos”, crianças inocentes e a cada dia a nossa pobreza é mais claramente estampada em nossa cara com as tristes realidades vividas pelas nossas gentes.

Hoje trago duas histórias, duas realidades que chegou até o nosso conhecimento, através de Nisael Temperatura Monteiro, com uma publicação feita no Facebook, no dia 7 de Maio de 2020. Já se passaram alguns dias, mas estas realidades não mudaram.

LEIA TAMBÉM:

Não vale comentar esses vídeos. Assista e faça alguma coisa. Essas realidades não surgiram por causa do coronavírus, pelas imagens podemos ver que é a triste rotina de suas vidas. Morando em barracas, em condições precárias de higiene e conforto, essas famílias sobrevivem.

Estão precisando de ajuda. Vamos fazer a nossa parte.

Vídeo 1:

Vídeo 2:

Para ajudar, entre em contato como o Nisael, através de seu Facebook, ou ligue para 993 58 38.

Continue Lendo

Nos Gente

23 de Abril – Dia do Professor Cabo-verdiano

Obrigado professores “pelo vosso abnegado e esclarecido trabalho, dedicação e visão de futuro”

Publicado

em

Hoje, 23 de Abril de 2020, comemora-se o Dia do Professor Cabo-verdiano.

Conforme explica a Ministra da Educação de Cabo Verde, Maritza Rosabal, “A celebração do professor cabo-verdiano renova-se, há 30 anos, no dia 23 de abril, dia do nascimento de Baltasar Lopes da Silva, por vontade política expressa em 1990 (Decreto n.º 25 de 21 de abril) com a finalidade de dignificar a função docente e estimular o pensamento reflexivo sobre o ensino e a educação. Têm sido comemorações de elevado valor simbólico, cívico e profissional, ocasiões para a classe docente ponderar as suas práticas e perspetivar um futuro mais promissor e, por justas homenagens de vários setores da sociedade. “

Devido ao surto do novo coronavírus, “a celebração hoje, dia 23 de abril de 2020, quebra a tradição e o carácter festivo, dada a gravidade da pandemia da Covid 19 que tem assolado o país, encerrou escolas, confinou professores e alunos em casa e rompeu com o ambiente relacional em sala de aula. “, comenta a ministra.

Obrigado a todos os professores que, de forma abnegada, nos ensinaram o caminho do saber.

Continue Lendo

Destaques