Connect with us

COVID-19

COVID-19. Como será a rotina Pós-estado de Emergência? O Governo responde!

O Primeiro-ministro, acompanhado do Ministro da Saúde e Segurança Social e do Diretor Nacional da Saúde, fez na amanhã desta sexta-feira, 24 de abril, uma Declaração ao país sobre medidas de prevenção sanitária e de proteção civil pós-estado de emergência.

Publicado

em

Cabo Verde decretou o estado de emergência, como forma de combate ao novo coronavírus (COVID-19), a partir das zero horas do dia 29 de Março e prorrogado, com entrada em vigor “das zero horas do dia 18 de Abril até as 24 horas do dia 2 de Maio nas ilhas da Boavista, Santiago e São Vicente e, nas ilhas de Santo Antão, S. Nicolau, Sal, Maio, Fogo e Brava com início às zero horas do dia 18 de Abril até as 24 horas do dia 26 de Abril”, conforme recomendação do representante da OMS em Cabo Verde, Hernando Agudelo.

Hoje, 24 de Abril, termina o estado de emergência nas ilhas de Santo Antão, S. Nicolau, Sal, Maio, Fogo e Brava.

Diante disso, o governo de Cabo Verde, na pessoa do Primeiro-ministro, José Ulisses Correia e Silva, acompanhado do Ministro da Saúde e Segurança Social, Arlindo do Rosário e do Diretor Nacional da Saúde, Artur Correia, fez na amanhã desta sexta-feira, 24 de abril, uma Declaração ao país sobre medidas de prevenção sanitária e de proteção civil pós-estado de emergência, na Sala de Conferência do Palácio do Governo.

O Diretor Nacional de Saúde, Artur Correia, avançou na sua intervenção as medidas a serem adotadas após o término do Estado de Emergência, nomeadamente, o uso alargado de máscara e as modalidades para a realização de testes.

O Primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, proferiu o seu discurso de Declaração ao país, que:

O país está em estado de emergência, como é sabido. Durante o estado de emergência é preciso cumprir com rigor e disciplina as medidas de confinamento obrigatório, ficar em casa. Não teríamos que estar a repetir se todos estivessem a cumprir.

A situação na Praia e na Boavista recomendam especial atenção. Os serviços da saúde, da proteção civil e as forças de segurança estão a colocar todo o empenho na contenção da propagação do contágio em Santiago e na Boavista. Este esforço de contenção só será eficaz com o cumprimento por parte das pessoas das regras de distanciamento e de confinamento em casa.

O estado de emergência chegará ao fim nas diversas ilhas no momento determinado por lei. O fim do estado de emergência não significa o fim do COVID 19 e nem o fim de possibilidades de contágio e de infeção. O vírus não vai desaparecer de um momento para o outro. Por isso, é preciso continuar com medidas de distanciamento social e de proteção individual para evitar novos contágios e descontrolo da propagação.

Com o fim do estado de emergência, o confinamento em casa vai deixar de ser obrigatório, mas isso não significa que as pessoas não devam continuar a ser vigilantes e cuidadosas nos contactos com outras pessoas.

Com o fim do estado de emergência, os serviços, as empresas e outras organizações, públicos e privados, podem recomeçar a funcionar. Mas devem acautelar e implementar medidas que garantam a proteção dos trabalhadores e dos utentes face aos riscos associados ao COVID 19. É importante continuar a conciliar, na medida do possível, o trabalho presencial com o tele-trabalho.

As restrições relacionadas com a interdição de realização de eventos e de atividades que provocam ajuntamento de pessoas ou aumentem os riscos de contágios, continuarão a ser aplicadas depois do estado de emergência e serão levantadas progressivamente, de acordo com a situação epidemiológica de cada ilha.

As restrições de visitas a lares e a centros de idosos, visitas a hospitais e a outros estabelecimentos de saúde, e visitas a estabelecimentos prisionais continuarão depois do estado de emergência e serão levantadas de acordo com a situação epidemiológica de cada ilha.

As restrições de transportes aéreos e marítimos de passageiros inter-ilhas continuarão depois do estado de emergência e serão levantadas de acordo com a situação epidemiológica de cada ilha.

O levantamento das restrições nos transportes aéreos e marítimos internacionais de passageiros dependerá do contexto interno de Cabo Verde e do contexto internacional em termos epidemiológico e económico.

Temos que preparar-nos para conviver com o vírus com menor intensidade de propagação possível, pois ele não vai desaparecer de um dia para o outro, nem em em Cabo Verde e nem em nenhum outro país do mundo. É este o entendimento de cientistas, de investigadores e da OMS. É necessário, por isso, estar vigilante, continuar a cumprir as regras de distanciamento social e de proteção individual num ambiente de maior liberdade de circulação e mobilidade de pessoas. Até que esteja disponível uma vacina, é preciso continuar a prevenir.

Vão ser reforçadas medidas de precaução em saúde pública relativa à proteção individual, higienização e vigilância sanitária, das quais destaco o uso de máscaras faciais, a organização e a higienização dos espaços de atendimento ao público e a realização de testes rápidos.

Enquanto a situação epidemiológica das ilhas recomendar, passará a ser obrigatório o uso de máscaras faciais em espaços interiores fechados de atendimento ao público ou que impliquem contacto com o público, quer por parte dos trabalhadores, quer por parte dos utentes e clientes.

É recomendado a todos os cidadãos o uso de máscaras faciais, particularmente em situações de aglomeração de pessoas. Pessoas mais vulneráveis, nomeadamente com mais de 65 anos, com doenças crónicas e estados de imunossupressão devem usar máscaras cirúrgicas sempre que saiam de casa.

Empresas que operam em Cabo Verde serão certificadas para produzir máscaras denominadas sociais ou comunitárias com incentivos fiscais que tornem os preços acessíveis aos cidadãos. Medidas de ação social serão acionadas para permitir o acesso às máscaras por parte de pessoas mais pobres e vulneráveis inscritas no Cadastro Social Único.

Investimentos estão a ser feitos para dotar o país de um bom stock de máscaras cirúrgicas, profissionais e comunitárias para os próximos seis meses.

Serão implementadas medidas permanentes de organização dos serviços públicos, de higienização regular e obrigatória nos espaços de atendimento ao público, incluindo transportes públicos de passageiros, portos e aeroportos. Incentivos fiscais serão criados para a produção nacional e comercialização de gel desinfetante.

A realização de testes rápidos vai ser alargada. Cerca de 50.000 testes estarão disponíveis nas próximas semanas. Vamos vencer este combate. O Governo está a tomar e a implementar medidas de proteção das pessoas e do país. Mas vencer o combate significa um forte comprometimento de cada pessoa neste período de estado de emergência e depois do estado de emergência. Ficar em casa é o melhor remédio. Lavar as mãos várias vezes por dia, evitar ajuntamentos e contactos vai ser necessário durante muito tempo.

Ver vídeo do Discurso do Primeiro-Ministro ao País em 24.04.2020

De salientar que Cabo Verde conta, até este momento, com 88 casos confirmados de coronavírus (COVID-19), 1 recuperado e 1 óbito.

Com informações de Governo.cv, PM, MSSS

Continue Lendo
Anúncio
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COVID-19

Podcast “Momentos com Ulisses Correia e Silva” aos domingos

O Podcast vai ao ar todos os Domingos, às 19h00, no horário de Cabo Verde

Publicado

em

O Primeiro Ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, anunciou ontem (16), em sua página no Facebook o PM Cast “Momentos Com Ulisses Correia e Silva”.

Segundo explica o PM, “num momento de crise global e de grande incerteza devido à pandemia da covid-19, os cidadãos estão receosos do que o futuro possa reservar-lhes” e “o Podcast ‘Momentos com Ulisses Correia e Silva’, abordará temas atuais do país, em todas as áreas, tendo como pano de fundo, numa fase inicial, a situação provocada pela COVID19.”

Para Ulisses Correia, esta iniciativa “é mais um veículo para esclarecer rumores e desinformações, e uma excelente oportunidade de me conectar com os cabo-verdianos, no país e na Diáspora, num momento nosso, de partilha e interação, onde poderão ouvir as principais preocupações e sugerir temas que gostariam que fossem tratados nas edições seguintes.”

“A partir deste Domingo, 17 de maio, estarei com vocês, todos os Domingos, às 19 horas (horário de Cabo Verde)”, conclui o PM.

De notificar que o primeiro episódio do Podcast “Momentos com Ulisses Correia e Silva” foi ao ar hoje, conforme anunciado e você pode ouvir, neste link.

O primeiro episódio “fala sobre a Terceira Prorrogação do estado de emergência, numa perspetiva de mostrar aos cabo-verdianos o risco acrescido que a não prorrogação acarretaria ao país, mormente para os mais vulneráveis para os quais o Governo tem o dever especial de proteção, mas também faço um paralelo entre o terceiro estado de emergência e os demais, as flexibilidades e as preocupações dos cabo-verdianos”, conforme explicou Ulisses Correia.

O Podcast pode ser ouvido nas principais plataformas digitais, como Anchor, Spotify, Apple Podcasts e Google Podcasts

Com informações do PM

Continue Lendo

COVID-19

Covid19: Recuperação ecológica. Assine essa petição da Avaaz

Avaaz recolhe 1 milhão de assinaturas de todos os cantos do mundo para encorajar o plano de recuperação do coronavírus com uma visão ecológica

Publicado

em

Foto: Avaaz

Segue texto na íntegra publicado pela Avaaz.

Queridos amigos e amigas,

Em poucos dias, a Europa apresentará um grande plano de recuperação do coronavírus com uma visão ecológica e que pode se tornar um exemplo para o resto do mundo! Mas grandes poluidores e alguns governos estão tentando colocar tudo a perder!

Para responder à altura, a Avaaz está se unindo a um grande grupo de políticos, cientistas, acadêmicos, líderes empresariais e da sociedade civil influentes para defender este plano ambicioso de recuperação da Europa com uma visão ecológica.

E essas três mulheres podem tornar este plano realidade: Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, Christine Lagarde, chefe do Banco Europeu e Angela Merkel, chanceler alemã.

Vamos encorajá-las com 1 milhão de assinaturas de todos os cantos do mundo, garantindo que elas sejam fortes, enfrentem os lobistas e nos levem a um futuro ecológico. Parlamentares europeus entregarão nossas vozes diretamente a essas líderes e à imprensa em uma sessão crucial na próxima semana!

ADICIONE SEU NOME À LISTA

À Presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen, Chanceler Angela Merkel, Christine Lagarde e a todos os líderes da União Europeia:

Vossas Excelências têm o poder de guiar a Europa e o mundo para longe destes dias sombrios de pandemia e rumo um futuro melhor e mais ecológico.

O Pacto Ecológico da Europa pode ser o plano de recuperação que buscamos, no qual investiríamos bilhões de euros por ano para criar empregos ecológicos e tornar nossas economias justas e limpas. Contamos com V. Exas para incluírem neste plano um orçamento e um banco voltados para investimentos climáticos, garantindo que todo o dinheiro gasto esteja alinhado com o Acordo de Paris. Está na hora de nos afastarmos dos combustíveis fósseis poluentes, de tributar os lucros das grandes empresas ao invés das pessoas e dar início uma revolução por energia limpa, que o mundo precisa tão desesperadamente.

Juntos, somos fortes o suficiente para vencer este vírus e nos reerguer. Somos generosos o bastante para garantir que ninguém seja deixado para trás. E somos sábios o suficiente para garantir que as bases desta recuperação não criarão crises climáticas ainda piores no futuro.

ADICIONE SEU NOME À LISTA

Fonte: Avaaz

Continue Lendo

COVID-19

COVID-19. Uso Obrigatório de máscaras em espaços públicos, pós-estado de Emergência

Medida consta nas orientações do Ministério da Saúde e Segurança Social, pós-estado de emergência.

Publicado

em

Em discurso, nesta manhã de sexta-feira, 24 de Abril, o Primeiro Ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, fez menção ao uso obrigatório de máscaras faciais como medida de prevenção de contágio e propagação do coronavídus (COVID-19), após término do estado de emergência.

“É recomendado a todos os cidadãos o uso de máscaras faciais, particularmente em situações de aglomeração de pessoas. Pessoas mais vulneráveis, nomeadamente com mais de 65 anos, com doenças crónicas e estados de imunossupressão devem usar máscaras cirúrgicas sempre que saiam de casa”, afirma Ulisses Correia.

A mesma declaração é reforçada em publicação na Página Oficial do Primeiro Ministro, afirmando que “passará a ser obrigatório o uso de máscaras faciais em espaços interiores fechados de atendimento ao público ou que impliquem contacto com o público, quer por parte dos trabalhadores, quer por parte dos utentes e clientes. “

A mesma recomendação é feita pelo Diretor Nacional de Saúde, Artur Correia, para “o uso alargado de máscara”, em informações avançadas em seu discurso na manhã desta sexta-feira (24).

Ainda, segundo Ulisses Correia e Silva, “as regras não são para criar problemas aos cidadãos, nem para beneficiar o Estado ou empresas, são para proteger as famílias e a população de uma forma geral” e lembra a todos os cidadãos Cabo-verdianos que “vencer o combate”, contra o novo coronavírus (COVID-19), “significa um forte comprometimento de cada pessoa, principalmente depois do estado de emergência. “

Com informações de PMUCS

Continue Lendo

Destaques