Connect with us

África

COVID-19 Zimbábue: para muitos a opção pode ser entre ficar contagiado ou morrer de fome

Num dos países mais pobres e devastado da África, a população está confrontada com a escolha diária entre a sobrevivência e o cumprimento das medidas recomendadas para prevenir o vírus.

Publicado

em

Foto: rfi.fr

COVID-19 colocou o mundo em quarentena e muitos entre a vida e a morte pelo vírus, ou pela falta de alimento.

Com poucos casos de COVID-19 confirmados no país, de 15 milhões de habitantes em quarentena, para muitos habitantes do Zimbábue a opção pode ter de ser entre ficar contagiado ou morrer de fome.

O país entrou hoje (30) em quarentena total como medida preventiva, face à pandemia de COVID-19, mas o distanciamento social está a ser suplantado pela procura de alimentos, dinheiro e transporte público barato, conforme constatado nas ruas de Harare, os jornalistas da agência de notícias Associate Press.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da COVID-19 já infectou mais de 727.000 pessoas em todo o mundo, das quase já morreram perto de 35.000. Dos casos de infeção, pelo menos 142.300 são considerados curados.

Fonte: TCV

Continue Lendo
Anúncio
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

África

Morreu Zindzi Mandela, filha de Nelson Mandela, aos 59 anos

Zindzi Mandela ganhou destaque internacional em 1985, quando o regime do apartheid ofereceu a liberdade a Nelson Mandela.

Publicado

em

Fonte: reprodução / Notícias Ao Minuto

De acordo com a televisão estatal South African Broadcasting Corporation (SABC) Zindzi Mandela, filha dos líderes anti-apartheid da África do Sul, Nelson Mandela e Winie Mandela, morreu hoje de manhã num hospital de Joanesburgo, onde se encontrava internada. 

Zindzi Mandela era embaixadora da África do Sul na Dinamarca.

A filha de Nelson Mandela destacou-se em 1985, quando o regime do apartheid tentou negociar com o líder histórico do ANC a liberdade caso denunciasse os crimes praticados pelo Congresso Nacional Africano.

Zindzi Mandela ganhou destaque internacional em 1985, quando o regime do apartheid ofereceu a liberdade a Nelson Mandela, em troca de uma denúncia pública da violência perpetrada pelo ANC, na luta pela libertação. 

A filha de Mandela, que nasceu pouco tempo antes de o pai ser preso e que tinha então 25 anos, leu num comício no Soweto a carta do pai que rejeitava a proposta do Presidente P.W. Botha, em imagens que correram o mundo.

No discurso que leu, Mandela, a quem as autoridades tinham oferecido a hipótese de uma saída da prisão sob estritas condições, queria deixar claro que só o aceitaria quando os outros presos políticos fossem libertados, o povo livre e o seu movimento, o Congresso Nacional Africano (ANC), legalizado. “A vossa liberdade e a minha liberdade são inseparáveis”, dizia.

A causa da morte ainda não foi divulgada.

É [um desaparecimento] prematuro. Ela ainda tinha um papel a desempenhar na transformação de nossa própria sociedade e um papel ainda maior no Congresso Nacional Africano”, disse o porta-voz do ANC, Pule Mabe. 

Fonte: PublicoPT / Jornal de Angola

Continue Lendo

África

África registra 594.955 casos; 13.246 mortes; 295.242 recuperações

Toda a África tem casos crescentes com apenas dois países sem vírus.

Publicado

em

Informações avançadas pela africanews, existem mais de 590.000 casos confirmados de coronavírus em todo o continente, com vários países africanos impondo uma série de medidas de prevenção e contenção contra a propagação da pandemia.

De acordo com os dados mais recentes da Universidade John Hopkins e do Centro Africano de Controle de Doenças do COVID -19 na África, a repartição permanece fluida à medida que os países confirmam os casos como e quando. Em 13 de maio, todos os países africanos haviam registrado uma infecção, sendo o último o Lesoto.

A lista abaixo, atualizada diariamente, colocada em blocos sub-continentais: leste, oeste, central, sul e norte da África, mostra a situação da África frente ao COVID-19. Todas as estatísticas são provenientes de atualizações do CDC da África e de dados oficiais do governo.

As classificações baseiam-se na localização dos países, especialmente no caso de países que pertencem a dois blocos diferentes, como a Tanzânia na África Oriental, apesar de pertencerem à EAC e à SADC .

Principais estatísticas em 23 de Abril

  • Casos confirmados = 594.955
  • Casos ativos = 286.467
  • Recuperações = 295.242
  • Número de mortes = 13.246

Países em ordem alfabética

  • Argélia – 19.195
  • Angola – 506
  • Benim – 1.378
  • Botsuana – 399
  • Burkina Faso – 1.036
  • Burundi – 191
  • Camarões – 15.173
  • Cabo Verde – 1.623
  • República Centro-Africana – 4.288
  • Chade – 880
  • Comores – 317
  • Congo-Brazzaville – 2.028
  • República Democrática do Congo – 8.033
  • Djibuti – 4.972
  • Egito – 82.070
  • Guiné Equatorial – 3.071
  • Eritreia – 232
  • Eswatini – 1.351
  • Etiópia – 7.560
  • Gabão – 5.942
  • Gâmbia – 64
  • Gana – 24.518
  • Guiné – 6.141
  • Guiné-Bissau – 1.842
  • Costa do Marfim – 12.766
  • Quênia – 10.105
  • Lesoto – 233
  • Libéria – 1.010
  • Líbia – 1.433
  • Madagascar – 4.867
  • Malaui – 2.364
  • Mali – 2.411
  • Mauritânia – 5.355
  • Maurícia – 342
  • Marrocos – 15.745
  • Moçambique – 1.157
  • Namíbia – 785
  • Níger – 1.099
  • Nigéria- 32.558
  • Ruanda – 1.337
  • São Tomé e Príncipe – 729
  • Senegal – 8.135
  • Seicheles – 100
  • Serra Leoa – 1.635
  • Somália – 3.059
  • África do Sul – 276.242
  • Sudão do Sul – 2.021
  • Sudão – 10.250
  • Tanzânia – 509
  • Togo – 720
  • Tunísia – 1.263
  • Uganda – 1.025
  • Zâmbia – 1.895
  • Zimbábue – 985

Atualizado 14 de Julho…

Fonte: africanews

Continue Lendo

África

COVID-19: corrida louca por alimento cria pânico no Quênia

Os moradores de Kibera abriram caminho através de um portão para ter a chance de suprimentos para manter suas famílias alimentadas por mais um dia durante o bloqueio.

Publicado

em

FOTO: Bloomberg

Houve uma breve debandada na capital do Quênia na sexta-feira, depois que milhares de pessoas procuraram ajuda alimentar.

Testemunhas disseram que o incidente nas vizinhanças pobres de Kibera levou a polícia a disparar gás lacrimogêneo e feriu várias pessoas.

Os moradores de Kibera abriram caminho através de um portão para ter a chance de suprimentos para manter suas famílias alimentadas por mais um dia durante o bloqueio.

É justamente a comida que buscamos, porque estamos morrendo de fome.

As pessoas feridas foram levadas para a segurança e colocadas no chão para se recuperar.

“As pessoas que foram feridas aqui são tantas, que nem podemos contar. Mulheres e crianças foram feridas. Havia uma mulher com gêmeos, ela foi ferida e mesmo agora ela está procurando por seus gêmeos. Muitas pessoas ficaram feridas, mas é apenas a comida que buscamos, porque estamos morrendo de fome ”, disse a moradora de Kibera, Evelyn Kemunto.

Eles estavam desesperados por ajuda, já que as restrições sobre a covid-19 tornam mais difícil sair e ganhar a vida.

Mais de 500.000 pessoas vivem em Kibera e muitas vivem com menos de alguns dólares por dia.

A população composta principalmente por trabalhadores informais, com pouca ou nenhuma economia, preocupa-se com a próxima refeição, pois ninguém sabe ao certo quando terminarão as medidas para reduzir a disseminação do coronavírus.

AP

Continue Lendo

Destaques