Cabo Verde inspira soluções pragmáticas

Cabo Verde faz uma parceria que lhe permitirá trocar dívida por investimento climático.


O Primeiro-Ministro, Sua Excelencia, Ulisses Correia e Silva, desde o início do seu mandato manteve uma estreita relação com Portugal, apoiando Jovens Caboverdianos nos estudos sobre a organização e gestão de empresas no ISEG (Instituo Superior de Economia e Gestão) e foi, também, no durante sua tutela que o valor do ESCUDO CABOVERDIANO passou a ser indexado ao EURO. 

Ulisses Correia e Silva permitiu a facilidade da mobilidade dentro da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa) juntamente com António Costa, desde a altura quando ambos eram presidentes das Camaras Municipais da Praia e Lisboa.


O Primeiro-Ministro de 60 anos de idade, trabalha mais intensamente para Cabo Verde de modo a transformar as dívidas externas do país em investimento climático.


Transformação da dívida pública em fundo para investimento climático


Os principais credores de Cabo Verde são:

  • BM - Banco Mundial;
  • BAD - Banco Africano de Desenvolvimento;
  • BADEA - Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico em África;
  • Outros bilaterias.

Cabo Verde estabelece uma relação com Portugal, tendo em vista a dívida bilateral como estratégia direta,  em cerca de 140.000.000 de Euros de modo que se aumente a resiliencia e sustentabilidade da economia de Cabo Verde. Será possível através da vontade política demonstrada pelos 2 ministros de Finanças dos 2 países que tem estado a trabalhar de modo a apresentar uma proposta concreta.

Apesar das dificuldades pelas quais Cabo Verde tem passado durante os últimos anos devido à Covid-19, o suporte do FMI (Fundo Monetário Internacional) bem como financiamentos dos principais credores. Podemos citar que Cabo Verde possui a mobilidade completa dentro do espaço da CPLP, autorização de residencia conforme as prerrogativas e liberdades portuguesas.

0 Comentários