RAMIRO MENDES do grupo musical Mendes Brothers: Condenado

Ramiro Mendes foi condenado a 3 anos e 5 meses de prisão mais reembolso do valor do fraude

Músico Ramiro Mendes declara-se culpado em esquema que lesou o Estado americano em milhões de dólares. O músico, compositor e cantor cabo-verdiano radicado nos EUA e os seus dois filhos foram acusados pelas autoridades americanas de burlar o estado norte-americano em cerca de 6,7 milhões de dólares num programa de apoio para pequenas empresas no âmbito da pandemia.

O artista cabo-verdiano Ramiro Da Rosa Mendes, de 61 anos, que reside em Beverly Hills, nos EUA, juntamente com os dois filhos declararam-se culpados neste mês de setembro por crimes de fraude em programas de apoio a pequenas empresas no âmbito da Covid-19.

A notícia que começou por ser avançada pelo Jornal de Domingo, na televisão pública neste dia 2 de outubro, já tinha sido divulgada num comunicado a 22 de setembro pelo Departamento de Justiça (estado de Califórnia). Segundo o acordo, Ramiro Mendes confessou ter cometido os crimes entre abril de 2020 a agosto de 2020, planeando obter de forma fraudulenta fundos federais de apoio a desastres distribuídos por meio do Programa de Proteção ao Pagamento (PPP) e dos programas de Empréstimo por Desastres por Acidentes Econômicos (EIDL), destinados a ajudar pequenas empresas devido à pandemia da COVID-19. Na época, Mendes afirmou ter vários negócios falsos supostamente baseados em Beverly Hills, incluindo One Wilshire Enterprises, Professional Music Services e MB Property Management Group LLC. Empresas essas que não existiam antes da pandemia do COVID-19 e não possuíam operações ou funcionários.

Acrescenta a mesma fonte que o mesmo alegou ser o proprietário de empresas de serviços imobiliários, incluindo Ramiro Mendes Real Estate Services, Real Estate Services e Real Estate Investiments, também localizadas em Beverly Hills e Massachusetts, bem como outras empresas registradas em Wyoming. “Mendes admitiu ter apresentado 19 pedidos de empréstimos PPP e EIDL que continham informações falsas e fraudulentas, incluindo a suposta existência de despesas com folha de pagamento, formulários fiscais falsos e situação operacional dos negócios”, lê-se na página.

O artista “admitiu no seu acordo ter roubado os empréstimos de alívio da COVID e usado indevidamente os recursos para o seu próprio benefício pessoal, incluindo a compra de criptomoeda. Ele admitiu ainda que a perda pretendida neste caso foi de aproximadamente US$ 6.708.963 e a perda real foi de pelo menos aproximadamente US$ 2.228.302”.

O caso foi investigado pelo FBI bem como por várias agências federais americanas. De acordo com a mesma fonte, a audiência de sentença está marcada pelo tribunal para o dia 12 de dezembro podendo o músico enfrentar uma pena de prisão de 20 anos. De realçar que os dois filhos do músico, Ammon José de Pina Mendes, de 26 anos, e Mateus Pina Mendes, de 33 anos, de Los Angeles, confessaram também em audiência serem culpados pela fraude juntamente com o pai.

Segundo o museu virtual, Cabo Verde & a Música, foi juntamente com o irmão João, que Ramiro Mendes emigrou em 1978 para os EUA e formou os Mendes Brothers. Anos mais tarde, chegaram a ter a sua própria editora, a MB Records, que evoluiu depois para a MB Global Media.

Cátia Gonçalves/ estagiaria
Balai.cv

0 Comentários